Portada del sitio > LITERATURA > Poesía > Amar
{id_article} Imprimir este artculo Enviar este artculo a un amigo

Mas foi um sonho o teu ser,
Foi um sonho o teu beijo na noite,
O vômito disperso em nossos rostos.
Tudo foi sonho, principalmente
Esse teu jeito de existir claro e solar.

A cada manhã um novo recomeçar.
Fala, confessa, esse é o teu rosto verdadeiro?
Fala, sorri e chora na profundidade do teu ser:
Como é bom amar!

Como é bom amar!
Engolir estrelas num claro sonhar.
Como é bom amar o teu gozo, a tua dor,
A tua partida, a tua chegada...
Tudo em ti deixa falar: amar...Amar... Amar...

Existe outro caminho senão esse?
Será essa a palavra secreta,
Início meio e fim de que promove uma festa?

Confessa, repita comigo:
Como é bom amar!
Todos juntos:
Como é bom amar!
A humanidade inteira:
Como é bom amar!

Explosão em tudo que vale.
Escuta o pulsar de cada célula.
O teu cabelo crescendo.
Os teus tios partindo.
O teu filho nascendo.

Não, não percebes,
O sol que ilumina teu rosto,
O alimento que sacia o teu estômago,
O vento que sopra em teus cabelos,
O lápis pela qual escreves estes versos?

Não, não percebes,
O momento presente,
A tua desconfiança,
Os teus desejos mais íntimos,
O surgir das lembranças?

Adianta correr?
Adianta sonhar?
Adianta, confesse, a ti mesmo respirar?

Ah, amor, eis a palavra verdadeira,
Início, meio e fim da criação inteira!

Vamos agora, depois dessa busca,
Cantar, desfazer-se neste poema
Que na aparência é apenas palavra,
Mas que na integridade
É a palavra final, a palavra nua,
Ultimo momento de quem existe aqui
Ou em qualquer lugar.

Vamos (explosão) todos juntos: amar!!!!!

Este artculo tiene del autor.

429

   © 2003- 2023 Mundo Cultural Hispano

 


Mundo Cultural Hispano es un medio plural, democrtico y abierto. No comparte, forzosamente, las opiniones vertidas en los artculos publicados y/o reproducidos en este portal y no se hace responsable de las mismas ni de sus consecuencias.


SPIP | esqueleto | | Mapa del sitio | Seguir la vida del sitio RSS 2.0